Niobio
EUR
USD

0

por minha Nióbio

Por que estilo é problema seu?

Em 30 segundos! Você usa roupas todos os dias. Essas escolhas de vestuário comunicam mensagens específicas não só para as pessoas ao seu redor, mas também impactam na maneira como você se vê. Sentir-se seguro envolve o cuidado com a sua imagem e, consequentemente, com o estilo pessoal.

Você consegue pensar em um hippie vestido como um punk?

Pois é, nem eu!

Quando falamos sobre moda, também falamos sobre pertencer. Mais que isso: sobre como você comunica seus valores para o mundo.

Até quem não curte moda demonstra isso pela própria moda ao adotar um visual mais despojadão e casual.

Tudo, absolutamente tudo que usamos transmite alguma mensagem.

Do mesmo jeito que uma alfaiataria demonstra elegância e cuidado com a imagem pessoal, um jeans rasgado já traz uma mensagem de desleixo e até mesmo rebeldia, dependendo da composição do look. Louco isso, né?!

Não existe imagem certa ou errada. Existe a imagem que está de acordo com o que você quer passar para as pessoas.

Verdades sejam ditas

Uma coisa é fato: você vai usar roupas no seu dia a dia. Não tem como negar. Seja por uma mera função utilitária ou de adorno, as roupas fazem parte da nossa vida.

Você usa roupa para dormir, para sair, para ficar em casa, para se exercitar, para se proteger, e até para seduzir nos momentos íntimos.

Além de todas essas utilidades práticas, o vestir também é um meio de comunicação.

Tá duvidando, né? Te provo agora que isso não é fake news.

Olha para essas duas imagens. Elas transmitem a mesma mensagem para você?

Aposto que a sua resposta foi “não”, correto?

Isso acontece porque o nosso cérebro é beeem inteligente, e interpreta cores, formas e texturas.

Cada detalhezinho tem uma mensagem específica. É aí que surge a psicologia das cores e das formas… Mas esse é um tema para um outro cápsula!

Outro exemplo: sabe quando uma pessoa do seu dia a dia tá mais plena, mas você não sabe dizer o por quê? Provavelmente foi porque ela usou algum desses elementos a favor dela.

Esses detalhes não são gritantes. Ninguém te vê e fala “nossa, essa linha vertical te alongou hein?”. As pessoas simplesmente notam que há algo mais harmônico (ou não) em determinada produção.

O mais importante de tudo? Assim como essas pessoas percebem a diferença no seu visual quando você se cuida mais (ou menos), você também forma uma percepção sobre si mesmo.

É aí que a brincadeira começa.

Imagem X Autoimagem

Existem vááárias questões em torno dessa percepção que você tem sobre si mesmo. Para aprofundar nisso, é importante entender a diferença entre imagem e autoimagem:

  • Imagem é a maneira como as pessoas te veem;
  • Autoimagem é a maneira como você se vê.

Pode ser que eles não estejam alinhadas, viu?

Avalie se a imagem que você está transmitindo para as pessoas está de acordo com a imagem que você tem sobre si mesmo. Ou seja, você precisa analisar se há dissonância entre esses dois conceitos.

Quando eles estão alinhados, a sua comunicação fica muito mais assertiva e eficiente. Assim, você não vai perder tempo tentando explicar quem você é. As pessoas simplesmente vão te olhar e sacar um pouco da sua personalidade.

O resto vem com a sua postura corporal, tom de voz, e, claro, o que você de fato diz por meio das palavras não fica de lado!

“Mas Aline, como eu vou saber o que as pessoas pensam de mim? Eu não leio mentes!”

Realmente não lê, por isso é só perguntar. Chega pro seu amigo, e questiona: “Qual é a primeira palavra que vem na sua cabeça quando falam sobre mim?”.

Você pode até fazer um formulário online com perguntas sobre como as pessoas te veem. Esse, inclusive, é um exercício de marca pessoal. :)

A partir das respostas, você consegue ter uma perspectiva sobre a opinião das pessoas sobre você.

Depois, é só comparar com a maneira como você se vê. Elas estão de acordo?

Dentro disso, pode rolar dois cenários:

  1. Autoimagem positiva: você se vê exatamente como é.
  2. Autoimagem negativa: você se vê inferior ao que realmente é.

Se o seu caso é o segundo, fica esperto. Isso consequentemente afetará a sua autoestima. São dois conceitos intimamente conectados que afetam o seu dia a dia nos mínimos detalhes, desde a sua postura com o seu chefe até na hora da paquera.

O buraco é mais em baixo...

Para entendermos o que é autoestima, precisamos de dois outros conceitos:

  1. Autoconfiança: postura positiva em relação às suas capacidades e desempenho;
  2. Autoaceitação: postura positiva a si mesmo como pessoa.

A construção da sua autoestima é como um sistema, cheio de partes interdependentes:

Autoimagem + Autoconfiança + Autoaceitação + Amor próprio = AUTOESTIMA

Em outras palavras, autoestima é a avaliação ou julgamento de valor que uma pessoa tem de si mesma.

Posso te passar um gabarito que eu mesma levei um tempo pra sacar?

Essa autoavaliação só vai melhorar e ficar positiva quando você tomar vergonha na cara e cuidar também da sua aparência e, consequentemente, estilo pessoal.

Afinal, ele é uma parte importante da sua imagem.

Por exemplo: pensa no Felipe. Felipe é um cara tranquilo, extrovertido, inteligente e super bem humorado. Se ele não transparecer todas essas características por meio do vestir, provavelmente terão uma primeira impressão equivocada sobre ele.

Não só isso, mas o próprio Felipe não vai se sentir bem dentro dessas roupas. A partir do momento que ele não se sente representado pelo próprio visual, não vai conseguir sustentar uma boa imagem para os outros e para si mesmo.

Nesse exemplo, o Felipe faz o esforço de se cuidar. Não é de uma maneira assertiva, mas a tentativa existe.

Agora imagina uma pessoa que nem liga pra isso e tem uma aparência mais desleixada.

Qual é a chance dessa pessoa olhar para o espelho e se sentir confiante no dia a dia?

Não vai rolar!

Vai muito além da estética

Trabalhar o seu estilo pessoal é sobre conquistar os seus sonhos mais profundos, e se sentir seguro para dar vários passos rumo à vida que você sempre quis, em vários aspectos - vida pessoal, carreira, vida amorosa.

Fazer isso é mais fácil que você imagina.

Você não precisa se vestir do jeito mais ousado de todos pra ser um cara estiloso. Dá pra ser um estiloso básico, elegante, trevoso e até hiponga.

Tudo que você precisa, na real, é de autoconhecimento. Quando você sabe o que gosta (e o que não gosta), fica mais fácil recusar o que não vai te agregar e buscar o que faz sentido pra sua vida.

E como eu começo a fazer isso?

Teste. Tira roupa, coloca roupa. Não tem jeito, é só com a prática que você entende o que funciona pro seu gosto pessoal e até mesmo pro seu corpo.

É um trampo? É. Você pode perder tempo testando combinações que não vão te levar a lugar nenhum, além de desperdiçar dinheiro com roupas que você nunca vai usar.

Aí entra a sua segunda opção:

Você pode testar essas produções, mas de uma maneira sistematizada, organizada e embasada com a consultoria de imagem. Ou seja, você terá alguém a seu dispor pra te nortear em todas essas decisões e ler os detalhes que você não vai conseguir enxergar sozinho.

Há quem acredite que esse serviço é sobre c@gar regras de estilo, ditar o que a pessoa pode ou não usar. Na real, a consultoria de imagem é um processo de adequação.

Nós, consultores de imagem, ajudamos pessoas a adequarem o vestir para atingir todos os objetivos pessoais sem deixar a essência de lado.

Lembra do Felipe? Ele trabalha com advocacia, mas tem um pézinho em um estilo mais ousado e criativo.

Ao contrário do que muitos pensam, o Felipe não precisa se fantasiar de terninho para ir ao trabalho.

Ele pode incorporar elementos visuais ao terno para manifestar o seu lado mais ousado sem ficar over ou até mesmo fora do dress code.

Essa é a expertise de um consultor de imagem: entender o que faz parte da essência da pessoa e como ela pode unir o que gosta ao que precisa usar no dia a dia.

Mas, se o Felipe está afim de continuar errando e se sentindo mal com a própria imagem, então o consultor de imagem não vai conseguir ajudar ele. E tá de boa! É uma escolha do Felipe, né.

Trago boas novas: a partir de hoje, todo mês vou trazer dicas, truques e estratégias que eu uso nas minhas consultorias para você aplicar no seu dia a dia.

Consultoria de graça hein? Valoriza! Esse texto foi só o começo. =)

Resumo da Obra

  • Você usa roupas todos os dias. Então, sim, estilo é problema seu.
  • Se é pra usar roupas, por que não usá-las a seu favor?
  • Com uma boa autoestima, você vai conquistar até mais do que imagina que é capaz.
  • Um dos passos para fazer as pazes com autoestima é cuidar do seu estilo.
  • Autocuidado não é coisa de mulher, muito menos associado à sua escolha sexual.
  • Na verdade, autocuidado é o mínimo que você pode fazer para si mesmo.
  • Você pode unir o útil ao agradável. Só precisa de disposição para aprender sobre estilo.

Nos vemos mês que vem!

 Aline Calamita, Consultora de Imagem e Estilo

Processing...

adicionado com sucesso.

adicionado com sucesso.